Escritos sob os regimes políticos de Vargas e Mussolini: para uma "fascistização" da infância?

Ademir Valdir dos Santos

Resumo

Este estudo discute a escola no regime de Vargas no Brasil e no de Mussolini, na Itália. Tem como base fontes relacionadas a escritos escolares e à infância: cadernos, livros, jornais, ata, fotografias, panfleto, legislação e objetos da cultura material. Interroga sobre as possibilidades de fascistização por meio docurrículo e da propaganda. Evidencia-se a utilização de materiais escolares como artifício ideológico dos governos totalitários. A análise das relações entre as escritas escolares eos contextos brasileiro e italiano revelou a potência das atividades político-culturais de doutrinamento da escola. Delinearam-se possibilidades de fascistização em ambos os países, por meio de elementos ora similares, ora contrastantes, corroborando a conceitualização problematizada.

Palavras-chave

escola; fascistização; escrita infantil; Brasil; Itália

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.