Submissões

Submissões Online

Já possui um login/senha de acesso à revista Revista Brasileira de História da Educação?
Acesso

Não tem login/senha?
Acesse a página de cadastro

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso.

 

Diretrizes para Autores

  • Com vistas a atingir a internacionalização e melhor indexação dos nossos periódicos, a Revista Brasileira de História da Educação adotou, a partir de 1º de janeiro de 2016, como padrão para apresentação dos artigos, o Manual de Estilo da American Psychological Association (APA) - 6. ed. Assim, os artigos submetidos devem estar em consonância com a APA. Siga até o fim desta página e observe atentamente os padrões exigidos.

POLÍTICA DE ACESSO ABERTO

Revista Brasileira de História da Educação é publicada sob o modelo Acesso Aberto e permite a qualquer um a leitura e download, bem como a cópia e disseminação de seu conteúdo de acordo com as políticas de copyright Creative Commons Attribution 3.0.

APCs (TAXA DE PROCESSAMENTO DE ARTIGO) E TAXA DE SUBMISSÃO

Revista Brasileira de História da Educação não cobra aos autores qualquer tipo de taxa de submissão ou publicação.

POLÍTICA CONTRA PLÁGIO E MÁS-CONDUTAS EM PESQUISA

Continuando nossa tradição de excelência, informamos as melhorias editoriais que visam fortalecer a integridade dos artigos publicados por esta revista. Em conformidade com as diretrizes do COPE (Committee on Publication Ethics) e do CNPq, que visam incentivar a identificação de plágio, más práticas, fraudes, possíveis violações de ética e abertura de processos, indicamos:

1. Os autores devem visitar os website do COPE e o Relatório da Comissão de integriade de Pesquisa do CNPq, que contém informações para autores e editores sobre a ética em pesquisa;

2. Antes da submissão, os autores devem seguir os seguintes critérios:

- artigos que contenham aquisição de dados ou análise e interpretação de dados de outras publicações devem referenciá-las de maneira explícita;

- na redação de artigos que contenham uma revisão crítica do conteúdo intelectual de outros autores, estes deverão ser devidamente citados;

- todos os autores devem atender os critérios de autoria inédita do artigo e nenhum dos pesquisadores envolvidos na pesquisa poderá ser omitido da lista de autores;

- a aprovação final do artigo será feita pelos editores e conselho editorial.

3. Para responder aos critérios, serão realizados os seguintes procedimentos:

a)   Os editores avaliarão os manuscritos com o sistema CrossCheck logo após a submissão. Primeiramente será avaliado o conteúdo textual dos artigos científicos, procurando identificar plágio, submissões duplicadas, manuscritos já publicados e possíveis fraudes em pesquisa;

b)  Com os resultados, cabe aos editores e conselho editorial decidir se o manuscrito será enviado para revisão por pares que também realizarão avaliações;

c) Após o aceite e antes da publicação, os artigos poderão ser avaliados novamente.

ORIENTAÇÕES AOS COLABORADORES/GUIDELINES FOR CONTRIBUTOR/ORIENTACIONES A LOS COLABORADORES

A Revista Brasileira de História da Educação, periódico trimestral da Sociedade Brasileira de História da Educação, publica artigos, dossiês, traduções, entrevistas e resenhas, inéditos no Brasil, relacionados à História e à Historiografia da Educação, de autores brasileiros e estrangeiros. Como publicação de referência na área, a revista exige o grau mínimo de doutor para autores interessados na submissão de artigos. No caso de autoria coletiva, pelo menos um dos autores deve possuir tal titulação.

ARTIGOS - Textos analíticos que apresentam resultados originais de trabalhos de investigação e/ou de reflexão teórico-metodológica.

DOSSIÊS - Conjuntos de artigos abordando temáticas de relevância para a área de História da Educação. Devem ter caráter interinstitucional, ser compostos de uma apresentação e de três a cinco artigos, reunindo autores filiados a, no mínimo, três instituições e contando, preferencialmente, com a participação de, pelo menos, um pesquisador filiado a uma instituição estrangeira. Só será publicado como dossiê um mínimo de três artigos aprovados pelos pareceristas. Em caso de aprovação de apenas um ou dois textos, estes poderão ser publicados isoladamente.

TRADUÇÕES - Textos relevantes para a pesquisa na área de História da Educação. Deverão vir acompanhadas de uma autorização do autor da obra original ou da editora na qual o texto tenha sido publicado. Caso a obra seja de domínio público, esse procedimento não é necessário, sendo o autor da tradução responsável por esta informação.

ENTREVISTAS - Depoimentos de pesquisadores cuja trajetória e contribuição sejam relevantes para a área.

RESENHAS - Estudos críticos de textos recentemente publicados ou de obras consideradas clássicas na área. Devem apresentar, obrigatoriamente, a referência bibliográfica completa e conter comentários e julgamentos sobre as ideias expressas na obra, a metodologia empregada, a relevância do tema e da abordagem para a área, bem como a posição do(s) autor(es) no debate acadêmico.

Normas editoriais

A submissão dos originais é feita, exclusivamente, pelo site da Revista Brasileira de História da Educação <www.rbhe.sbhe.org.br>.

Os autores devem verificar a conformidade dos originais às configurações adotadas pela revista. Trabalhos fora do padrão serão recusados automaticamente.

Os originais submetidos à publicação devem ser inéditos, não sendo permitida sua apresentação simultânea em outro periódico.

Cada autor só poderá ter um texto em tramitação, entre a submissão e a sua publicação, observando-se um intervalo de dois anos entre a publicação e uma nova submissão de texto de um mesmo autor.

Apresentação dos originais

IDIOMAS: A Revista Brasileira de História da Educação aceita colaborações em português, espanhol e inglês.

FORMATO: O texto deve ser digitado em editor de texto Word for Windows, fonte Times New Roman, tamanho 12; espaçamento entre linhas 1,5; página tamanho A4 (297 x 210 mm), com 2,5 cm de margem superior e inferior; e 3 cm de margem direita e esquerda.

Todas as indicações de autoria devem ser apagadas dos originais, incluindo o nome do usuário cadastrado no Microsoft Word.

Na folha de rosto, devem constar o título do trabalho e os dados completos de todos os autores na seguinte ordem: nome, última formação, função, filiação institucional (por extenso e sigla), cidade, estado, e-mail e endereço completo.

É recomendável que os autores submetam o texto à revisão ortográfica, gramatical e de normas da APA, antes de apresentá-lo à Revista Brasileira de História da Educação.

EXTENSÃO: Os trabalhos devem obedecer à seguinte extensão:

•   Artigos, traduções e artigos dos dossiês - de 40.000 a 60.000 caracteres com espaços (excluídos da contagem o resumo e suas versões em inglês e espanhol e incluídos gráficos, tabelas, figuras e imagens). O resumo e suas versões deverão conter entre 700 e 800 caracteres com espaços, cada um;

•   Resenhas - de 8.000 a 15.000 caracteres com espaços;

•   Entrevistas - de 8.000 a 15.000 caracteres com espaços.

TÍTULO, RESUMO, PALAVRAS-CHAVE, SEÇÕES: Os artigos deverão vir acompanhados de resumo e palavras-chave, em português, inglês e espanhol. O título completo com subtítulos (em até duas linhas) também deve ser apresentado em suas versões para o inglês e o espanhol.

O texto deve conter, obrigatoriamente, as seções 'Introdução' e 'Considerações finais'.

Visando facilitar o uso e a busca das palavras-chave, é obrigatório o uso de Vocabulário Controlado. A RBHE adota o "Brased" - Thesauro Brasileiro de Educação.

TABELAS, IMAGENS E ELEMENTOS GRÁFICOS: As tabelas devem ser inseridas no texto com caracteres legíveis, numeradas sequencialmente, citadas no corpo do texto, com suas respectivas legendas e nos espaços definidos pelo autor, contendo abaixo, alinhada à esquerda, a indicação da fonte de onde foram retiradas as informações.

As imagens e os elementos gráficos devem ser apresentados no interior do texto e em arquivo à parte, em formato JPG ou TIFF, em resolução 400 dpi, em escala de cinza, numerados e acompanhados dos respectivos títulos e legendas. Em conformidade com a NBR 14724:2011 da ABNT, na parte superior da ilustração, registrar: identificação, precedida da palavra designativa (fotografia, gráfico, quadro, figura, imagem, entre outros); número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos; travessão; título. Na parte inferior: fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio autor); legenda. A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere.

NOTAS EXPLICATIVAS: As notas de rodapé, apresentadas em numeração consecutiva, devem ter caráter explicativo.

REFERÊNCIAS E CITAÇÕES

As citações deverão seguir os exemplos abaixo, que se baseiam na norma da American Psychological Association (APA).  Para citação no texto, usar o sobrenome e ano: Garraffoni (2007) ou (Garraffoni, 2007); para dois autores: Virtuoso e Rabelo (2015) ou (Virtuoso & Rabelo, 2015); para três a cinco autores (1.ª citação): Gheorghiu, Gruson e Vari (2008) ou (Gheorghiu, Gruson & Vari, 2008) e, nas citações subsequentes, Gheorghiu et al. (2008) ou (Gheorghiu et al., 2008); para seis ou mais autores, citar apenas o primeiro seguido de et al.:Cachioni et al. (2015) ou (Cachioni et al., 2015).

MODELOS DE REFERÊNCIAS

Deverão ser organizadas em ordem alfabética, alinhamento justificado, conforme os exemplos seguintes, que se baseiam na norma da American Psychological Association (APA). Listar todos os autores do trabalho. Os títulos dos periódicos deverão ser completos e não abreviados, sem o local de publicação.

Importante: a partir da segunda linha, em toda referência, deve haver um recuo à esquerda.

ARTIGOS

Um autor

Saviani, D. (2015). Historiography of brazilian education: training and development field of the history of education in Brazil. Acta Scientiarum. Education, 37(1), 1-14. doi: 10.4025/actascieduc.v37i1.23680

Dois autores

Virtuoso, T. S., & Rabelo, G. (2015). Escolas étnicas italianas: Urussanga como principal centro ítalo-brasileiro catarinense no início do século XX. Acta Scientiarum. Education, 37(1), 65-77.

Até sete autores (devem-se indicar todos os autores separados por vírgula, exceto o último que deve ser separado por vírgula seguido de &)

Gheorghiu, M. D., Gruson, P., & Vari, J. (2008). Trocas intergeracionais e construção de fronteiras nas experiências educativas das classes médias. Educação e Sociedade, 29(103), 377-399.

Oito ou mais autores (devem-se indicar os seis primeiros, inserir reticencias e acrescentar o último autor)

Cachioni, M., Ordonez, T. N., Batistoni, S. S. T., Lima-Silva, T. B., Fooken, I., Dornelles, L. V., ... Ramos, A. C. (2015). Metodologias e estratégias pedagógicas utilizadas por educadores de uma Universidade Aberta à Terceira Idade. Educação & Realidade, 40(1), 81-103

ANAIS

Caporalini, J. B. (2005). O problema antropológico em O Nome da Rosa. In Anais da 4ª Jornada de Estudos Antigos e Medievais da Universidade Estadual de Maringá (p. 200-213). Maringá, PR.

LIVROS

Bowman, A. K., & Woolf, G. (1998). Literacy and power in the ancient world. Cambridge, UK: Cambridge University Press.

Adorno, T. W. (2003). Educação e emancipação. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra.

Ucko, P. (1995). Archaeological interpretation in a world context. In I. Hodder (Ed.), Theory in archaeology: a world perspective (p. 1-27). Londres, UK: Routledge.

TESE

Santos, V. S. (2007). A mediação docente na educação para mídia (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

ARTIGO DE REVISTA

Chamberlin, J. Novotney, A. Packard, E., & Price, M. (2008, May). Enhancing worker well-being: Occupational health pschologists convene to share their research on work, stress, and health. Monitor on Psychology, 39(5), 26-29.

ARTIGO DE REVISTA ONLINE

Fiuza, G. (2015, Julho). Só a Grécia salva Dilma: Austeridade é o palavrão da moda. A Grécia deve € 26 milhões à Espanha, e a culpa é dos espanhóis. Época. Acessado em:  http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/guilherme-fiuza/noticia/2015/07/so-grecia-salva-dilma.html

ARTIGO DE JORNAL ONLINE

Ninio, M. (2015, 6 de Agosto). Se partido não o escolher, Trump ameaça concorrer como independente. Folha de São Paulo. Acessado em: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/08/1665601-se-nao-for-escolhido-trump-ameaca-concorrer-como-independente.shtml

Para instruções sobre outros casos de referências de acordo com as normas da APA, consulte o material “Normalização de Referências: adaptação do manual de estilo da American Psychological Association (APA) – 6a ed.”, publicado pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo: http://www.ip.usp.br/portal/images/biblioteca/normalizacao_referencias_APA_6_ed_vers%C3%A3o2013.pdf

Espaçamento após elementos de pontuação

Insira um espaço após

- vírgulas, dois-pontos e ponto-e-vírgula.

- pontos que separem partes de uma referência citada.

- pontos que sucedam as iniciais em nomes próprios (por exemplo, J. R. Zhang).

Exceção: não insira espaço após pontos internos em abreviações (e.g., a.m., i.e.).

Ponto final

Use ponto final com

- iniciais de nomes (J. R. Smith).

- abreviações em latim (a.m., cf., i.e., vs.).

- abreviações de referências (Vol. 1, 2ª ed., p. 6).

Não use ponto final com

- abreviações de nome de estados (SP; MG; Maringá, PR) em lista de referências.

- abreviações formada por letras maiúsculas ou acrônimos (APA, IBAMA, IBGE).

- endereços da web no texto ou na lista de referências (http://www.apa.org). No texto, coloque o link entre parênteses quando possível ou revise a sentença a fim de evitar terminá-la com um URL e sem pontuação.

- abreviações métricas e não-métricas (cd, cm, kg, lb, min, s).

Traço

Use o traço para indicar somente uma súbita interrupção na continuidade da sentença. Seu uso excessivo enfraquece a fluidez do conteúdo.

Aspas

Observe as seguintes instruções para os usos de aspas duplas além do caso de citação direta de uma fonte externa.

Use aspas duplas

- para introduzir uma palavra ou frase como um comentário irônico, gíria ou um neologismo. Use aspas pela primeira vez que a palavra ou frase é usada; posteriormente, não use.

Correto:

considerado um comportamento “normal”

a “espantosa” variável . . . a espantosa variável (não há aspas após o primeiro uso).

Incorreto:

considerado um comportamento ‘normal’

a “espantosa” variável . . . a “espantosa” variável

- para indicar, no corpo do texto, o título de um artigo ou capítulo em periódico ou livro.

O artigo de Riger (1992), “Epistemological Debates, Feminist Voices: Science, Social Values, and the Study of Women”

- para reproduzir itens em uma lista ou instruções a participantes:

O primeiro item a ser preenchido foi “esperava-se que _______”

Se as instruções são longas, separe-as do corpo do texto a partir do recuo, sem uso das aspas.

Não use aspas duplas

- para identificar referências de uma escala. Em seu lugar, use itálico.

Nós ranqueamos os itens numa escala que vai de 1 (todo o tempo) a 5 (nunca).

- para citar uma letra, palavra, frase ou sentença como um exemplo linguístico. Em seu lugar, use itálico.

- Ele explicou a distinção entre mas e mais.

- para introduzir um termo técnico. Em seu lugar, use itálico.

O termo lauda aparece frequentemente no discurso.

Ela o comparou a partir de meta-análise, a qual é descrita na próxima seção.

Aspas duplas ou simples

No texto. Use aspas duplas para abrir e fechar citações no texto. Use aspas simples para substituir aspas duplas dentro de uma citação, isto é, quando o trecho citado já possui aspas duplas.

Correto: Miranda (2002) observou que o “fenômeno ‘cristais expandidos’, verificado em estudos prévios, tem seus efeitos ampliados se testado sob temperaturas mais altas” (p. 299).

Incorreto: Miranda (2002) observou que o “fenômeno “cristais expandidos”, verificado em estudos prévios, tem seus efeitos ampliados se testado sob temperaturas mais altas” (p. 299).

Em citações recuadas. Não use aspas duplas para abrir e fechar essas citações. Use-as somente quando houver aspas duplas no próprio trecho citado, no próprio texto recuado.

Correto:

O fenômeno “cristais expandidos”, verificado em estudos prévios, tem seus efeitos ampliados se testado sob temperaturas mais altas. No caso analisado inicialmente, a aplicação dos remédios mostrou-se pouco eficiente, sendo necessário, assim, o uso de diferentes temperaturas no experimento (p. 299).

Incorreto:

“O fenômeno “cristais expandidos”, verificado em estudos prévios, tem seus efeitos ampliados se testado sob temperaturas mais altas. No caso analisado inicialmente, a aplicação dos remédios mostrou-se pouco eficiente, sendo necessário, assim, o uso de diferentes temperaturas no experimento (p. 299)”.

Uso de itálicos

Para o uso específico de itálicos em periódicos APA, veja as diretrizes abaixo. No geral, use itálicos com pouca frequência.

Use itálicos para

- títulos de livro, periódicos, filmes, vídeos, programas de TV e publicações em microfilme.

Exceção: palavras no título de um livro que já estão em itálicos devem ser escritas em tipo romano (isso é geralmente chamado de itálico reverso).

A Stereotaxic Atlas of the Monkey Brain (Macaca Mulatta)

Dreaming by the Book: Freud’s The Interpretation of Dreams and the History of the Psychoanalytic Movement

- gênero, espécie e variedades.

Macaca mulatta

- introdução de um novo termo ou termo técnico.

- uma letra, palavra ou frase citada como um exemplo linguístico.

palavras como grande e pequeno

a letra a

o significado de fazer crer

uma fila de Cs

- palavras que poderiam ser mal interpretadas

o grupo pequeno (significando uma designação, não o tamanho do grupo)

- indicação de volume de periódico em listas de referências

American Psychologist, 26, 46-67

- marcos em uma escala

os índices de saúde vão de 1 (ruim) a 5 (excelente).

Números de tabelas e figuras

Numere todas as tabelas e figuras com numerais arábicos na ordem em que eles são mencionados no texto, independente se uma discussão mais detalhada da tabela ou figura ocorra em trecho posterior do texto. Não use letras como sufixo para numerar tabelas e figuras; isto é, nomeie-as como Tabela 5, Tabela 6, Tabela 7 ou Figura 5, Figura 6 e Figura 7 em vez de 5, 5a e 5b. Se o manuscrito incluir um apêndice com tabelas e figuras, identifique aqueles elementos do apêndice com letras maiúsculas e numerais arábicos (e.g., Tabela A1 é a primeira tabela do Apêndice A, Figura C2 é a segunda figura do Apêndice C).

Títulos de tabelas

Fornece a cada tabela um breve, porém explicativo título. O conteúdo básico da tabela deve ser inferido a partir de seu título. Abreviações que aparecem nos cabeçalhos ou no corpo de uma tabela podem ser explicados no próprio título (abreviação entre parênteses).

Explique abreviações que requeiram maiores explicações ou que não se relacionem diretamente com o conteúdo do título numa nota geral sobre a tabela. Não use uma nota específica para esclarecer um elemento do título.

5.16

Tabelas podem ter dois tipos de notas localizadas abaixo do corpo: notas gerais e notas explicativas. A nota geral qualifica, explica e fornece informações relacionadas à tabela como um todo e termina com uma explicação de abreviações, símbolos e afins. Consideram-se, também, nesse caso, informações sobre a origem da tabela. Isto é, se ela tem origem em fonte externa. Notais gerais devem ser identificadas pela palavra Nota (em itálico)

Para outros casos, sugerimos aos autores a consulta do material "Normalização de Referências: adaptação do manual de estilo da American Psychological Association (APA) – 6a ed.", publicado pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e disponível neste link.

 

Responsabilidade ideológica

Os artigos cuja autoria é identificada expressam o ponto de vista dos autores e não a posição oficial da Revista Brasileira de História da Educação.

Observações gerais

Serão fornecidos gratuitamente aos autores e/ou tradutores dois exemplares do número da revista em que seu texto foi publicado.

Contato

O contato com a Revista Brasileira de História da Educação poderá ser feito por correspondência para a Universidade Estadual de Maringá, Grupo de Estudos Transformações Sociais e Educação nas Épocas Antiga e Medieval, Av. Colombo, 5790, Bloco 4, Sala 5, CEP 87020-900 - Maringá (PR) - Brasil (a/c Comissão Editorial RBHE); pelo e-mail rbhe.sbhe@gmail.com; e pelo site www.rbhe.sbhe.org.br

 

* * *

 

GUIDELINES FOR CONTRIBUTOR

The journal Revista Brasileira de História da Educação (RBHE), a quarterly publication from Sociedade Brasileira de História da Educação (The Brazilian Society of History of Education), gathers articles, dossiers, translations, interviews and book reviews, still unpublished in Brazil, related to History and Historiography of Education, written by Brazilian or foreign authors.

PAPERS - Analytical texts which present original results of researchers and/or theoretical-methodological reflections.

DOSSIERS - Set of articles covering relevant themes for the area of History of Education. They should have an inter-institutional attribute, being composed of an introduction and from three to five articles, gathering authors who are members of at least three institutions and counting on the participation of preferably at least one researcher who is a member of a foreign institution. A dossier shall be only published with a minimum set of three papers accepted by the reviewers. In case of approval of just one or two texts, these can be published separately.

TRANSLATIONS - Relevant texts for researches in the area of History of Education. They should be accompanied by an authorization from the manuscript author or from the publisher. In case the work is of public domain, this procedure is not necessary, being the author of the translation responsible for the information conveyed in the translated version.

INTERVIEWS - Statements given by researchers whose work and contributions are relevant to the area.

REVIEWS - Critical studies of recently published texts or manuscripts considered classics in the area. They must include full bibliographical reference and contain comments and opinions about the ideas presented in the work, the applied methodology, the relevance of the theme and the approach as well as the author(s)’s position within the academic debate.

Publishing Regulations

Manuscripts must be submitted exclusively through the website of the journal Revista Brasileira de História da Educação <www.rbhe.sbhe.org.br>.

The authors should check the originals compliance to the configuration adopted by the journal. Submitted work that does not comply with the standards shall be automatically refused.

The manuscripts submitted for publication must be unpublished, and its simultaneous inclusion in another journey is strictly forbidden.

Each author can have only one text under analysis, during the period between submission and publication, considering an interval of two years between the publication and a new submission of a text by the same author.

Original manuscripts presentation

LANGUAGES: Revista Brasileira de História da Educação accepts contributions in Portuguese, Spanish and English.

FORMAT: The text should be typed in Word for Windows, Times New Roman font, size 12; 1.5 spacing between lines; A4 page (297 x 210 mm), with 2.5-cm top and bottom margins, and 3-cm right and left margins.

All references to the authorship should be deleted from the original manuscripts, including the user’s name registered in Microsoft Word.

On the cover page there should be the title of the work and complete data of the authors, in the following order: name, latest degree, position, institution (in full and abbreviations), city, state, e-mail and complete address.

It is advisable that authors have their texts reviewed in what regards their spelling, grammar and ABNT (Brazilian Association of Technical Standards) norms before submitting it to Revista Brasileira de História da Educação.

LENGTH: The work should comply with the following length rules:

•   Papers, translations and dossier articles - from 40,000 to 60,000 characters with spaces (excluding, for calculation purposes, the abstract and its versions in English and Spanish, and including graphs, tables, figures and images). The abstract and its versions should have between 700 and 800 characters with spaces, each;

•   Reviews - from 8,000 to 15,000 characters with spaces;

•   Interviews - from 8,000 to 15,000 characters with spaces.

TITLE, ABSTRACT, KEYWORDS: The papers should come with abstract and keywords in Portuguese, English and Spanish. The complete title with subtitles (up to two lines) should also be presented in English and Spanish.

Aiming to make the use and search for keywords easier, the use of Controlled Vocabulary is obligatory. The RBHE adopts "Brased" - Brazilian Thesaurus in Education.

TABLES, IMAGES AND GRAPHIC ELEMENTS: Tables should be inserted in the text with legible characters, sequentially numbered, mentioned in the body of the text, with their respective captions and within the spaces defined by the author, having below them, aligned to the left, references to the sources from where the information was taken.

The images and graphic elements should be presented inside the text and in a separate file, in JPG or TIFF format, 400 dpi resolution, in tones of gray, numbered and accompanied by the respective titles and captions. In compliance with  NBR 14724:2011 from ABNT, on the upper part of the illustration, there should be register of: identification, preceded by the designating word (photograph, graphs, chart, figure, image, among others); sequence number in the text, in Arabic numbers; dash; title. In the lower part: source (compulsory element even if it is the author’s own production); caption. The illustration should be mentioned in the text and inserted as close as possible to the part to which it refers.

Ideological responsibility

The texts whose authors are identified express their points of view rather than the official position from Revista Brasileira de História da Educação.

General Notes

Authors and/or translators shall receive two copies of the journal edition in which their texts are published.

Contact

Contact to Revista Brasileira de História da Educação can be made by post to Universidade Estadual de Maringá, Grupo de Estudos Transformações Sociais e Educação nas Épocas Antiga e Medieval, Av. Colombo, 5790, Bloco 4, Sala 5, CEP 87020-900 - Maringá (PR) - Brasil (a/c Comissão Editorial RBHE); by e-mail  rbhe.sbhe@gmail.com or through the website www.rbhe.sbhe.org.br

 

* * *

 

ORIENTACIONES A LOS COLABORADORES

La Revista Brasileira de História da Educação (Revista Brasileña de Historia de la Educación) periódico cuatrimestral de la Sociedade Brasileira de História da Educação (Sociedad Brasileña de Historia de la Educación), publica artículos, dossiers, traducciones, entrevistas y reseñas, inéditos en Brasil, relacionados con la Historia y la Historiografía de la Educación de autores brasileños y extranjeros.

ARTÍCULOS - Textos analíticos que presentan resultados originales de trabajos de investigación y/o reflexión teórico-metodológica.

DOSSIERS - Conjunto de artículos que abordan temáticas de relevancia para el área de Historia de la Educación. Deben tener carácter interinstitucional, estar formados por una presentación y de tres a cinco artículos, reunir autores afiliados, como mínimo, a tres instituciones y contar, preferencialmente, con la participación de, por lo menos, un investigador afiliado a una institución extranjera. Solamente será publicado como dossier un mínimo de tres artículos aprobados por los revisores. En caso de aprobación de apenas uno o dos textos estos podrán ser publicados aisladamente.

TRADUCCIONES - Textos relevantes para la investigación en el área de Historia de la Educación. Deberán venir acompañadas de una autorización del autor de la obra original o de la editora en la cual el texto haya sido publicado. En el caso de que la obra sea de dominio público, ese procedimiento no es necesario, siendo el autor de la traducción responsable por esta información

ENTREVISTAS - Testimonios de investigadores cuya trayectoria y contribución sean relevantes para el área.

RESEÑAS - Estudios críticos de textos recientemente publicados o de obras consideradas clásicas en el área. Deben presentar, obligatoriamente, la referencia bibliográfica completa y contener comentarios y juicios sobre las ideas expresas en la obra, la metodología empleada, la relevancia del tema y del abordaje para el área, así como la posición del/los autor(es) en el debate académico.

Normas editoriales

Los originales pueden ser sometidos, exclusivamente, por la web de la Revista Brasileña de Historia de la Educación <www.rbhe.sbhe.org.br>.

Los autores deben verificar la conformidad de los originales a las configuraciones adoptadas por la revista. Trabajos fuera del patrón serán rechazados automáticamente.

Los originales sometidos a la publicación deben ser inéditos y no es permitida su presentación simultánea en otro periódico.

Cada autor sólo podrá tener un texto en tramitación entre el período de sometimiento y publicación. Un mismo autor debe aguardar dos años de haber publicado un texto para someter otro.

Presentación de los originales

IDIOMAS: La Revista Brasileña de Historia de la Educación acepta colaboraciones en portugués, español e inglés.

FORMATO: El texto debe ser tecleado en editor de texto Word sea Windows, fuente Equipos New Roman, tamaño 12; espaciado entre líneas 1,5; página tamaño A4 (297 x 210 mm), con 2,5 cm de margen superior e inferior y 3 cm de margen derecha e izquierda.

Todas las indicaciones de autoría deben ser borradas de los originales, incluyendo el nombre del usuario inscrito en el Microsoft Word.

En la portada, deben constar el título del trabajo y los datos completos de todos los autores en el siguiente orden: nombre, última formación, función, filiación institucional (por extenso y sigla), ciudad, estado, email y dirección completa.

Es recomendable que los autores sometan el texto a la revisión ortográfica, gramatical y de normas de la ABNT, antes de presentarlo a la Revista Brasileña de Historia de la Educación.

EXTENSIÓN: Los trabajos deben obedecer a la siguiente extensión:

•   Artículos, traducciones y artículos de los dossiers - de 40.000 a 60.000 caracteres con espacios (excluidos de la cuenta el resumen y sus versiones en inglés y español e incluidos gráficos, tablas, figuras e imágenes). El resumen y sus versiones deberán contener entre 700 y 800 caracteres con espacios, cada uno:

•   Reseñas - de 8.000 a 15.000 caracteres con espacios;

•   Entrevistas - de 8.000 a 15.000 caracteres con espacios.

TÍTULO, RESUMEN, PALABRAS CLAVE: Los artículos deberán venir acompañados de resumen y palabras clave, en portugués, inglés y español. El título completo con subtítulos (en hasta dos líneas) también debe ser presentado en sus versiones para el inglés y el español.

Con vistas a facilitar el uso y la búsqueda de las palabras clave, es obligatorio el uso de Vocabulario Controlado. La RBHE adopta el "Brased" - Thesauro Brasileño de Educación.

TABLAS, IMÁGENES Y ELEMENTOS GRÁFICOS: Las tablas deben ser insertadas en el texto con caracteres legibles, numeradas secuencialmente, citadas en el cuerpo del texto, con sus respectivos subtítulos en los espacios definidos por el autor y aparecer debajo, alineada a la izquierda, la indicación de la fuente de donde fueron retiradas las informaciones.

Las imágenes y los elementos gráficos deben ser presentados en el interior del texto y en archivo aparte, en formato JPG o TIFF, en resolución 400 dpi, en escala gris, numerados y acompañados de los respectivos títulos y subtítulos. En conformidad con la NBR 14724:2011 de la ABNT, en la parte superior de la ilustración, registrar: identificación, precedida de la palabra designativa (fotografía, gráfico, cuadro, figura, imagen, entre otros); número de orden de ocurrencia en el texto; guión; título. En la parte inferior: fuente consultada (elemento obligatorio, aunque sea producción del propio autor); subtítulo. La ilustración debe ser citada en el texto e insertada lo más próximo posible del tramo al que se refiere.

Responsabilidad ideológica

Los artículos cuya autoría es identificada expresan el punto de vista de los autores y no la posición oficial de la Revista Brasileña de Historia de la Educación.

Observaciones generales

Serán suministrados gratuitamente a los autores y/o traductores dos ejemplares del número de la revista en que su texto fue publicado.

Contacto

El contacto con la Revista Brasileña de Historia de la Educación podrá ser hecho por correspondencia para la Universidade Estadual de Maringá, Grupo de Estudos Transformações Sociais e Educação nas Épocas Antiga e Medieval, Av. Colombo, 5790, Bloco 4, Sala 5, CEP 87020-900 - Maringá (PR) - Brasil (a/c Comissão Editorial RBHE) (a/c Comissão Editorial RBHE); pelo e-mail rbhe.sbhe@gmail.com; e pelo site www.rbhe.sbhe.org.br

Número de itens publicados no ano de 2015:

  • 33 artigos originais;
  • 4 resenhas.

 

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.

    • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
    • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word.
    • URLs para as referências foram informadas quando possível.
    • O texto está em espaço entrelinhas 1,5; usa fonte Times New Roman de 12 pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras estão inseridas no texto. As imagens e os elementos gráficos estão apresentados no interior do texto e em arquivo à parte, em formato JPG ou TIFF, em resolução 400 dpi, em escala de cinza.
    • O autor informou o seu nome e curriculum em, no máximo, três linhas, indicando a titulação, função e instituição (por extenso e sigla) a que está vinculado, bem como os grupos de pesquisa dos quais participa. Registrou, ainda, o endereço, telefone e e-mail, que serão divulgados pela revista.
    • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a revista.
    • Possuo titulação de doutor ou ao menos um dos autores do artigo possui tal titulação.
    • Para assegurar a avaliação cega por pares, não deverá ser citado o grupo de pesquisa envolvido na autoria do artigo.
 

Declaração de Direito Autoral

DECLARAÇÃO DE ORIGINALIDADE E DIREITOS AUTORAIS

Declaro que o presente artigo é original, não tendo sido submetido à publicação em qualquer outro periódico nacional ou internacional, quer seja em parte ou em sua totalidade.

Os direitos autorais pertencem exclusivamente aos autores. Os direitos de licenciamento utilizados pelo periódico consistem na licença Creative Commons Attribution 3.0 (CC BY 3.0): são permitidos o acompartilhamento (cópia e distribuição do material em qualqer meio ou formato) e adaptação (remix, transformação e criação de material a partir do conteúdo assim licenciado para quaisquer fins, inclusive comerciais. 

Recomenda-se a leitura desse link para maiores informações sobre o tema: fornecimento de créditos e referências de forma correta, entre outros detalhes cruciais para uso adequado do material licenciado.

 

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

 


ISSN: 2238-0094